O que é e como acontece

A retina é o tecido responsável por transformar a imagem que vemos em impulsos nervosos que serão interpretados pelo cérebro possibilitando um dos sentidos mais nobres, a visão, portanto quando temos um descolamento da mesma, a visão fica muito comprometida. A retina descola pois há entrada de líquido debaixo dela, o qual se espalha, descolando a retina do epitélio(um tipo de tecido) abaixo dela. Existem outros tipos de descolamento que explicaremos mais a frente.
Na maioria das vezes esse líquido penetra através de buracos na periferia da retina. Existem algumas condições que predispõem as pessoas a terem esses buracos:
•    Buracos formados após o descolamento agudo do vítreo posterior(DPV).
•    Degenerações (ou seja, afinamentos da retina, muitas vezes presentes em pessoas com alto grau de miopia, nas quais a retina “estica” muito ficando fragilizada em algumas áreas podendo formar buracos)
O vítreo preenche o globo ocular na parte mais posterior, onde se encontra a retina. Quando nascemos ele tem consistência gelatinosa e se encontra totalmente aderido a retina(que é o tecido que cobre toda a superfície interna e posterior do olho – vide ilustração da anatomia ocular), a medida que o tempo passa ele vai se tornando liquefeito podendo descolar da retina, nesse momento, pela tração exercida na retina, pode provocar o aparecimento dos buracos (ou roturas como chamamos), é como se na hora em que descolasse trouxesse um pedacinho da retina com ele formando um buraco no local, por onde esse gel(vítreo) que não tem mais consistência gelatinosa e sim líquida, pode penetrar, como qualquer líquido solto que penetra em qualquer lugar que não oferece resistência.
Familiares próximos de pessoas que tiveram descolamento de retina devem ser examinados, e aqueles que tiveram descolamnto em um olho estão em maior risco de desenvolver no outro olho.
Existem dois outros tipos de descolamento. O chamado de tracional no qual a retina descola pois está sendo “puxada”; mais comum nas pessoas portadoras de diabetes(retinopatia diabética) e o descolamento seroso, no qual há líquido também mas ele vem de algum processo inflamatório e não de buracos na retina.

Como tratar

O tratamento é sempre com cirurgia(menos nos descolamentos serosos nos quais o tratamento deve ser direcionado à inflamação causadora do quadro).
É importante salientar que as pessoas que apresentem os buracos sem que o líquido já tenha penetrado, ou seja, nos quais a retina ainda esteja colada podemos tratar apenas com laser, na tentativa de fechar(cicatrizar) esse buraco. Portanto todos os pacientes com alterações que podem predispor o descolamento da retina devem ser submetidos a mapeamento de retina cauteloso para afastar a presença dos temerosos buracos(roturas). Então, aqueles com alta miopia e/ou descolamento do vítreo posterior( que se manifesta como a presença de flashes de luz e/ou pontos pretos flutuantes e móveis que chamamos de moscas volantes) devem fazer o mapeamento da retina.
As modalidades cirúrgicas são várias, dependendo de cada caso:
•    Retinopexia Pneumática
•    Retinopexia com introflexão escleral
•    Vitrectomia Via Pars Plana
•    Em alguns casos combinamos mais de uma técnica cirúrgica